Aprenda a diferença entre situações de perigo e de risco

Aprender a lidar com as próprias emoções e se adaptar a diferentes cenários é a chave para superNeste artigo você finalmente entenderá como diferenciar esses conceitos fundamentais da área de Saúde e Segurança do Trabalho ar as adversidades da vida 

Apesar de serem dois termos usados comumente como sinônimos, “perigo” e “risco” possuem significados distintos – e a grande maioria das pessoas não conhece essas diferenças. E não compreender essa distinção pode ser capaz de prejudicar a segurança de todos os funcionários da empresa, pois para garantir uma boa Saúde e Segurança do Trabalho (SST), é fundamental que todos consigam identificar os perigos e avaliar os possíveis riscos que estão submetidos no ambiente profissional.  

Neste artigo, você terá acesso a um guia completo que esclarece as diferenças e coloca um fim definitivo na confusão gerada entre o uso desses dois termos tão importantes para a segurança do trabalho. Vamos lá? 

Conceituação dos termos: perigo ou risco?

Antes de adentrarmos em outros tópicos importantes sobre o assunto, é fundamental entender o conceito de cada termo específico.  

Segundo o dicionário Aurélio da Língua Portuguesa, o substantivo perigo (do latim periculu) significa “circunstância, estado ou situação que prenuncia um mal para alguém ou algo”. Contextualizando para a área de SST, o perigo caracteriza-se por ser uma fonte causadora de prejuízos à saúde, como lesões, doenças e, em casos mais extremos, fatalidades. 

Já o risco, de acordo com a norma internacional de SST “ISO 45001”, é conceituado como a “combinação da probabilidade de ocorrência de eventos ou exposições perigosas relacionadas aos trabalhos e da gravidade das lesões e problemas de saúde que podem ser causados pelo(s) evento(s) ou exposição(ões)”. 

Em resumo, podemos dizer que perigo é um conjunto de propriedades que são inerentes a um processo e que, em determinada condição, é capaz de causar efeitos nocivos à saúde ou ao meio ambiente, dependendo do grau de exposição. Enquanto isso, o risco é, justamente, a chance dessa condição específica resultar em danos ou prejuízos aos trabalhadores envolvidos. Em outras palavras, é o resultado obtido pela efetividade do perigo. 

Como você pôde perceber apenas com a conceituação de perigo e risco, esses termos possuem uma forte conexão – o que, na maioria dos casos, influencia a compreensão confusa no uso dessas palavras. Mas é fundamental que você tenha em mente que o perigo, por si só, não representa necessariamente um risco. Entretanto, se um trabalhador for exposto a uma fonte causadora de prejuízos à saúde (perigo), é possível afirmar que nessa situação haverá risco. Lembre-se que o risco é como um evento que pode acontecer a qualquer instante. 

Perigo no ambiente de trabalho

Como vimos, o perigo (ou fonte de risco) é um aspecto que, de forma isolada ou combinada, tem o potencial de causar riscos à Saúde e Segurança no Trabalho. O perigo pode ser qualquer coisa potencialmente causadora de danos, tais como: 

• Materiais como substâncias tóxicas, solventes, ácidos, metais, gases, plásticos e resinas são considerados fatores de risco em diversas áreas, como nas indústriasmetalúrgicas ou petroleiras, por exemplo..  

• Partes móveis sem a devida proteção, condições de uso defeituosas, má conservação, armazenamento inadequado e uso incorreto são alguns perigos relacionados aosequipamentos. 

• Além de ambientes muito quentes ou muito frios, empoeirados, com má iluminação ou com presença de gases tóxicos, postos de trabalho ergonomicamente inadequados também caracterizam um fator de risco. 

• Você sabia que os próprios trabalhadores também representam perigo para a Saúde e Segurança do Trabalho? A falta ou insuficiência de capacitação, a inexistência de políticas de segurança em uma empresa, a exaustão, o uso de substâncias psicoativas e, até mesmo, o assédio moral são fatores de risco que devemos estar atentos no ambiente profissional. 

Exposição ao risco no ambiente de trabalho

O risco ocupacional é caracterizado, principalmente, pela frequência com a qual umtrabalhador pode sofrer danos causados por uma fonte de perigo. Geralmente, os riscos são avaliados em termos de consequências e de probabilidade desses resultados ocorrerem.  

Sendo assim, trata-se de um parâmetro incerto e, às vezes, imensurável – afinal, o risco pode ter efeitos positivos ou negativos. No entanto, quando o assunto é a Gestão de SST, é fundamental se atentar mais aos riscos potencialmente negativos não somente à saúde do colaborador, mas também ao meio ambiente. 

Geralmente, o grau de exposição aos riscos ocupacionais está vinculado a trêsvariáveis. A primeira delas é o tempo de exposição, ou seja, o período em que o trabalhador teve contato com o agente ou fator de risco. A segunda variável é a intensidade, o nível acumulado do agente ou fator de risco no ambiente de trabalho, como substâncias tóxicas e equipamentos em péssimo estado de conservação. E por fim, temos a natureza do fator de risco, que está relacionado ao potencial agressivo do agente à saúde do trabalhador e ao meio ambiente. 

Portanto, podemos concluir que quanto maior o tempo de exposição, a intensidade ea nocividade do agente, maior será o risco ao qual o trabalhador estará exposto. 

Prevenção e gerenciamentos de riscos no trabalho

Visando reduzir e, até mesmo, eliminar situações de exposição do colaborador a fatores de risco no ambiente de trabalho, diversas organizações decidiram apostar na prevenção e gerenciamento de riscos ocupacionais.  A prevenção de riscos trata-se de uma série de medidas e técnicas, como a redução do uso de materiais, equipamentos e processos que oferecem algum tipo de risco a saúde e integridade física do trabalhador e o incentivo ao uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). 

Enquanto a prevenção tem um caráter mais individual, o gerenciamento de risco ocupacional envolve a elaboração e aplicação de políticas administrativas que têm como objetivo identificar, analisar, avaliar, tratar e monitorar o risco de forma coletiva. Para um gerenciamento de riscos eficiente, é necessário que a empresa ou organização inclua as etapas listadas abaixo no processo: 

• A identificação dos perigos é uma etapa considerada primordial, pois consiste na verificação das fontes com potencial de causar danos à saúde dos trabalhadores e ao meio ambiente. 

• Em seguida, é importante incluir a identificação dos riscos. Nesse momento, deve ser verificada a probabilidade de concretização dos perigos previamente detectados.  

• Após o período de identificação, a avaliação dos riscos precisa ocorrer. Essa etapa consiste em avaliar os riscos identificados com o objetivo de mensurar e classificar a exposição dos trabalhadores aos agentes e fatores de risco. 

• Seguindo o processo de avaliação e análise, vem o controle e a prevenção dos riscos.Nessa etapa, é fundamental que as medidas elaboradas sejam colocadas em prática para que os riscos estejam sob controle na empresa ou organização. 

• Por fim, o monitoramento e auditoria completam o ciclo de gerenciamento de riscos. Afinal, além de aplicar medidas de prevenção, é importante que elas sejam monitoradas periodicamente e, caso seja preciso, reavaliadas

Compreender as diferenças e relações entre os termos perigo risco pode ser determinante para que sua empresa realize uma boa gestão de Saúde e Segurança do Trabalho. E se sua empresa ou organização enfrenta outros desafios a respeito do SST, a Weex pode te ajudar! Clique aqui e conheça mais sobre nossas soluções. 

O que achou do conteúdo? Ainda tem dúvidas? Deixe seu comentário! 

Gostou desse artigo?

Nos ajude a espalhar conteúdo de qualidade com seus amigos e colegas!

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram

Quer receber conteúdos exclusivos como este no seu e-mail?

Assine nossa Newsletter!

Confira os últimos artigos públicados!

O que é SESMT e qual a sua importância para a empresa

SESMT é a sigla para Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho. Neste artigo, você vai entender as funções e importância do SESMT, além de orientações sobre dimensionamento e obrigatoriedade da equipe nas empresas.

Ler artigo →